SAUDADE

O assovio interior,
no ouvido,
desata os nós,
desfaz os impedimentos,
realiza a certeza.
O tempo brilhante do sol,
adentra dia,
vagueando notório
de muitas alegrias.
Apesar da cabeça,
ainda pesada,
vai saindo sorrateira,
a semente,
latente em seu útero.
São pensamentos,
movimentos de cores,
além da imaginação,
que aquecem alma,
esquecem lamento,
soltam-se no momento,
aqui.
Nessas linhas escritas
de arroxeado amarelado,
vai saindo tempestade,
vai idade,
vai tudo,
fica apenas criança,
lembrança da infância,
 na memória presente.
Saudade.

Vanize Claussen
30/08/2015




Postagens mais visitadas