domingo, 19 de abril de 2015

CORES

Larga essa rua 
de cores soltas no muro, 
estonteante sementeira 
de luz própria,
propícia ideia. 
Elementos arte vagueantes
vão solapando contornos,
vão fomentando imagens 
na passagem andarilha 
de uma pequena boca,
Boca da Barra. 
Rio das Ostras, 
gentileza de galera,
união de uma esfera
de sinais iluminados, 
iluministas da atualidade. 
Pessoas corretas, comuns,
discretas, sentimentais...
São essa gente que habita 
na Barra,  na Boca 
dos pescadores.
A primazia da simplicidade, 
simples idade em existir,
assim  como o peixe no mar.

Vanize Claussen 
19/04/2015

FLORES

As cores e sabores, 
que o tempo me traz, 
são amores das flores, 
amores perfeitos, 
alguns, sem jeito,
mas a alma se alegra, 
com a canção mais bela 
que vento vem trazendo. 
Experimento a brisa 
de uma forma intensa, 
inteira, inexplicável... 
Vou deixando acontecer 
dentro dos pequenos gestos 
a inexata certeza 
de estar de passagem ,
de mala na poesia ,
de esperança pelas tintas, 
tantas! Que o encanto encanta
a alma que vibra arte em si. 
Ah! 
Pureza na tempestade de ideias! 
Claridade de paz! 
Vibrações de amor! 
Sabores sem medida, 
na esperança do beijo  prometido. 
É ...as flores começam
a abrir o tempo da alma.


Vanize Claussen 
19/04/2015


Postagem em destaque

FLORAÇÃO

A floração, dentro, aquece sentidos, ver é estação. Sobrevoa a luz, transformação. Imagens, brilhos, água, cores. Sorr...