domingo, 31 de janeiro de 2016

CAMINHO

Você me olha,
te olho,
me percebe,
te percebo.
Quando existe 
a troca,
a fala,
vontade,
tudo funciona.
Quando há distração,
tudo esvai.
Silêncio,
sempre.
Falta de comunicação,
jamais.
Extraio vontades,
dispenso a falta.
Caminho à frente,
descanso a mente
e o contínuo abraçar
vai latente.
Assim sou,
se der vou,
caso não,
afasto a brisa,
disfarço a dor.
Doação de amor,
sempre,
para quem quer receber,
caso contrário,
despedaçadamente,
ando à frente,
vou.
Porém,
sem dor,
apenas sigo,
o significado
do que ficou
e do que sou,
sendo construção
a cada instante,
latente,
presente.
Gratuitamente,
a vida,
gratidão sempre,
por tudo que acontece.
Leveza na mente,
paz no coração,
pois a doença chega,
quando nos fechamos,
quando não falamos,
quando expulsamos
o que faz girar
a roda da vida:
o amor.
Solidão tem hora,
ficar juntos também.
Então agora,
estou aqui...
Percebendo,
resolvendo,
nas entranhas da alma,
o coração.
Amizade,
que fala verdade, 
do que sente.
Amigos aceitam,
reagem e brigam,
se necessário,
mas serão sempre,
eternamente amigos.
Amores de poder,
querer ter,
se vão,
esquecidos.
Guardadas experiências,
aprendizados.
Você é único,
eu única.
quando cativados,
responsável somos,
temos ligação,
mesmo que de passagem,
nesta terra humana.
As ligações são do Pai,
que permitiu esse encontro.
Deixo aqui a certeza,
que nada acontece por acaso.
Sigo,
Signo,
significado,
frente ao entendimento,
que a criação,
em movimento,
atrai vida.
Natureza é beleza,
ser natural, idem.
Somos imagem,
semelhantes,
semelhança
do criador.
E sempre existe saudade,
do que éramos,
do que passou
e o gostinho que ficou.
Adocicado com uma pitada,
de pimenta,
"Ave",
"perfeitamente",
o presente,
que virou passado, 
passagens de alegrias, 
lembradas, 
guardadas,
risadas,
para sempre,
dentro de nós dois.
Você fez e faz diferença,
mesmo sem perceber,
seu valor é imenso,
não é material,
financeiramente falando,
e nada e ninguém
pode tirar sua alegria
se você consegue amar de verdade.
Vejo que estou em construção,
todos os dias...
você também está.
todos estamos aprendendo:
O caminho.
Hoje,
depois dessa breve experiência,
diante do que é  a eternidade,
faço esta reflexão e te envio,
de alma para alma.
Sem receio,
porque tudo que tem de ser, é.
Tudo que precisamos está vindo
em nossa direção 
ou estamos indo em sua direção.
Reclamações, para que?
A vida é o que tem de ser,
com nosso esforço fazemos
coisas imensas,
trabalhos inimagináveis,
para muitos.
Cada um com seu dom,
seguindo o caminho,
traçado por Papai.
Assim vejo, 
assim sigo, 
entendendo
o silêncio que amo.
Beijos no coração.
Até breve
amigo - amado - irmão.

Vanize Claussen
27/01/2016


terça-feira, 26 de janeiro de 2016

CAMINHADA

Transição,
passagem,
esfumaçada no tempo,
viagem,
de não ver,
para ser.
O que ser afinal?
Transparência,
verdade,
maturidade,
inquieta semelhança
de busca.
Criação,
natureza,
vereda aberta
de caminhadas,
subidas,
descidas,
escaladas.
Mas e o tempo?
Insano desejo,
voltar a viajar...
não ir a lugar algum,
descompensar.
Mas a vida,
andarilha densa
de sentir,
pipoca internalizada,
dentro do corpo,
arredio de toque,
de prazer.
Compensação
no ato,
viajar de fato,
para as chapadas,
diamantes,
serras distantes,
corações separados,
juntos encantados
de visão além daqui.
Traiçoeira estação,
trabalhar insano,
ostentar dinheiro,
cheiro podre,
capitalismo
regado de enxofre.
Mas o remédio
está no tempo,
onde ver acontece
dentro.
Já sem ansiedade,
que seja a criação
de acordo 
com o Criador,
sem dor,
movimentação,
até breve,
amigo de jornada.
Levanto a bandeira,
carrego vitória,
caminho à frente,
pois a fartura,
do tamanho desejo,
dissolvida,
resolve seguir viagem.
Cantando o destino,
do que precisa.
Pois o que dela precisa,
também ela precisa.
Seguir, 
somente isso,
basta à alma 
que observa o presente.
Gratidão,
sentir,
evoluir,
todos os dias,
 caminhante vou.

Vanize Claussen
26/01/2016



INTOCÁVEL

Coração inquieto,
viagem latente,
translúcida luz.
Talvez,
mais adiante,
cantares,
olhares,
toque direto,
alma + alma.
Divagações normais,
aromatizadas de cinza-perfume,
transformadas em arco-íris.
O sol nascente-poente,
amarrotando dentro,
intangível,
intocável,
divinal.
Conversa aberta,
franqueza,
dizeres vãos,
vontades caladas.
Solução?
Tempo.

Vanize Claussen
26/01/2016




domingo, 24 de janeiro de 2016

VIAGEM

Partida,
chegada,
ida,
volta.
Trem,
imensidão,
barco,
vela,
avião,
carro.
Semelhança,
casa,
esperança,
vidro,
madeira,
praia,
comunhão,
estação,
natureza.
Fotografia,
flores,
mar,
floresta,
bichos.
Grisalho,
pintado,
escovado,
cortado,
inteiro.
Timidez?
Vontade,
voar.
Viagem,
voltar.
Crescer,
viver,
morrer.
Assim flores,
assim vida,
assim tempo,
aqui.

Vanize Claussen
24/01/2016


DÉJÀ VU

Comemoração,
partida,
chegada.
Aonde ir?
Espanto,
conter,
ver,
saber,
entender,
mesmo assim ir.
 Que o tempo,
desfaça nós,
 transforme,
poeira,
iluminação, 
viagem.
Perseverança,
continuar.
Sabedoria,
esperar.
Onde chegar?
O tempo,
distância,
lágrima,
volta.
Precisar,
solidão,
explosão.
Chegar,
comemorar,
exatidão,
cantar.
Hoje,
sempre,
tempo,
presença.
Experiência,
ausência,
existência,
aqui, 
Déjà vu.

Vanize Claussen
24/01/2016



A LUZ

Os caminhos,
caminhantes,
integrantes
desse tempo,
momentos
acudidos,
resolvidos,
vivenciados,
com amor,
apesar de:
estraçalhados.
Coração,
oração,
paz,
saudade.
Verdades
inquietas,
semblante
adormecido,
na mesa,
aeroporto,
espera,
TEMPO.
Soluções?
Talvez 
viagem 
apoplética,
salgada,
faltando sabor,
doce.
Estar junto,
aqui,
ali,
qualquer lugar,
presente,
presença,
inteireza,
tudo,
completude,
harmonização.
Depois,
um dia,
fumaça,
crepitação,
cremação.
Saudações,
eternidade,
espera.
Até breve,
cheguei,
a luz,
nós.

Vanize Claussen
24/01/2016



quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

FÊNIX

Atmosfera,
água,
corpo,
luz.
Fagulhas,
no tempo,
alimento.
Translúcida
escala,
escalada,
rompimento,
junção.
Pacto,
amor,
cor,
transparência.
Fomento,
alimento,
fome,
esperança,
aliança,
sabores.
Viagem,
alinhamento,
verdades,
omissão,
reação.
Estancamento,
vontade,
ação,
extração,
imponência,
divino.
Retrato, 
paisagem,
fotografia,
imagem,
tempo.
Segundos,
minutos,
horas,
estação.
Insanidade?
Loucura?
Certeza,
individualidade.
Mover,
ser,
des-conter,
realizar,
criar.
Fagulhas,
agulhas,
arames,
solturas.
Pincéis,
tintas,
palavras,
estrelas.
Vinho,
magenta,
azul,
verde,
amarelo,
FÊNIX.

Vanize Claussen
21/01/2016

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

NAVEGAR ATÔMICO

Navego...
entrelinhas,
pulsar atômico,
dissolução,
explosão.
O canto,
nos recantos,
soltando-se,
aos poucos,
vento,
tempestade,
invasão.
Descrevo,
andarilho solto,
busca,
inquietante alça,
alma,
lugar intangível,
inabalável,
destino,
se fazendo,
construção.
Solfejo,
discreto,
algúria de chegar,
relâmpago,
dentro,
constelações,
gritantes,
apaixonados.
O toque,
a brisa,
achegança,
saída,
retorno.
fornalha,
forno,
quentura,
amor.
Movimento intacto,
parada,
EU,
NÓS,
TODOS...
lindo dia,
água,
seguindo,
indo,
alicerce.
Realidade,
virada,
idade,
vontade.
Lembranças,
estancadas,
paralisando,
parando,
dizendo,
seguir,
viver,
ser.

Vanize Claussen
20/01/2016





segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

ESTAÇÃO

Prevejo...

Intensamente...
Antevejo.
São flores colhidas,
Amor desfeito, 
Amor refeito
no prato servido.
Intangível divagação,
maturidade indevidamente
retraída no coração,
ilusões intocáveis,
corações abatidos.
Sou lenha e fogo,
Vento e água,
Terra e céu,
Mistério profundo,
Ação divinal.
Percepção aguda,
Abertura temporariamente
No turbilhão branco,
Toque mágico,
Estação de trem,
A vida seguindo...
Presente,
de presente estar,
aqui como presença,
ser um presente
há muitos que estão.
Acontecimentos,
vagar incólume,
Despertar manhã,
Apenas PAZ.


Vanize Claussen
18/01/2016


Postagem em destaque

FLORAÇÃO

A floração, dentro, aquece sentidos, ver é estação. Sobrevoa a luz, transformação. Imagens, brilhos, água, cores. Sorr...