Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2013

SOU ALMA

Sou um pouco vento, um pouco tempestade, um pouco flor, um pouco verdade. E no tempo certo sou fruta da colheita. A água me invade a calma, me transforma a forma do tempo espiritual que vejo. sinto-me invadida, deixo-me ser translúcida, brilhante e extasiante na perfeição de existir além daqui a alma.
Vanize Claussen 

19/03/2013

ENCONTRO

Estrelas sopram nos meus ouvidos estalam e completam formas. Felicidade estar ouvindo você, mesmo que longe. São pequenos toques num tic-tac invadindo a alma, truque de luz que somente o amor transforma e emana. O horizonte traz paz e conforme a dança do tempo, vamos nos encontrando no ar, por aí, para ser feliz.
Vanize Claussen 05/07/2013

CAMINHO DO MEIO

Saboreando a vida, vou seguindo, prestando atenção a cada riso, cada som, cada espetáculo de pedaço de chão, espaço de pessoas vivendo, onde números, vozes, andares, jogos, bonés, damas e movimentos de botão de mesa, vão absorvendo meu tempo de ver os ensinamentos da vida, que brotam na experiência de busca constante, expressão de vida, onde tudo e nada são a mesma coisa, onde criança e adulto se encontram e o caminho do meio, acontece.

Vanize Claussen 
13/07/12

NOTAS MUSICAIS

Escolho, estico, esquento, esfrio e vou ao vento do elemento amor presente em mim. Sou de fogo, de prazer, de soltar a verdade sem idade, de não conter, mas ir ao encontro ao que nasce dentro e fora encontra rumo. Ah! Pulsar gritante em mim! Toma-me e dita-me o caminho a seguir! Me leve e eleve no quente sabor da vida! Desamarra e sustenta a graça do prazer desta alma em criar cada dia uma harmonia real com o outro lado dessa existência! Presença, saudade e coração, prá viver e ver toda sabedoria em notas musicais, passarinhais e voradoras de nós.
Vanize Claussen

06/07/2013

PULSAR

O estado de entrega não funciona, é preciso uma conotação de imagem, uma fórmula secreta, que chame, abrace e transcorra em meu ventre-alma, e faça-me sentir MULHER DE ESTRELAS e toque-me dentro, em minha fonte-alma de luz. Quero ser brisa, deixar-me tocar na ardência do coração, que ama e ama. Ah! Sentido de êxtase! Ah! Doce selvagem-mulher em mim! Balança-me de cores, nas flores do jardim, faz-me soltar o pé do lugar prá viajar além daqui e ir na busca de encontrar, além do véu, além mar, achar vaidades simplificadas, além das planícies, planaltos. Forjar a busca incessante Que a alma não deixa parar. Ah! ALMA VIAJANTE DE LUZ    que existe em mim, embala-me em teu pulsar!
Vanize Claussen 
06/11/2012