Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2013

CANTAR A POESIA

Imperfeita, perfeita, sou eu assim, dissolvida em seus braços, vestida de presente, a entoar a canção da poesia... Você, simplesmente, me desembrulhando em sua vida, me regando de carinho E ajustando as velas para navegarmos em nosso amor. Assim, vestida de poemas: intrigantes, picantes, carinhosos, verdejantes... Vamos oportunizando o sentido de um relacionamento, aprendendo a colocar o selo da vida no ato de amar.
Vanize Claussen
27/12/2013

SABOR ETERNO

No reflexo da vida vamos nos entoando de imagens secretas, secretas lembranças de estar sorrateiramente buscando em viagens a eternidade de ser. O vidro reflete a senha, o estado de ver, numa reflexão contínua,
humana,
onde,
a espuma do copo
não supõe a infinidade
que assoma a alma.
Muito além, a liberdade,
as cores de estar aqui,
vivendo esta linguagem
de solidão a estar só,
somente em paz.
Por aí, 
vamos distorcendo
as escarpas do amor
e saboreando a eternidade.

Vanize Claussen

14/12/2013

ESSA TAL FELICIDADE

A felicidade extraída na música, onde alma e compasso dissolvem  qualquer vento ou tempestade. Ah! Essa tal  que desatina a humanidade e aquece meu pensar! é aquele tempo de imagens, de amor, de solturas da dor, que vai cantando em meu corpo, invadindo meus sentidos, dos pés a cabeça, naquela louca vontade de amar e amar.
Vanize Claussen
07/12/2013