PAZ

Soluções inteiras,
solteiras,
discretas,
ao léu..
O papel amassado,
cartas queimadas,
jogadas ao chão.
Na cama,
apenas espaço,
largada do braço,
alheio,
cantante de música,
o corpo espalhado,
relaxamento.
Chega de bagagens!
Absurdas imagens,
de corpos ingratos
em suas almas infelizes.
CHEGA!
Agora o tempo chegou,
PAZ.
O horizonte chama,
o sentido,
ir além de pequenezas.
Virando a mesa,
soltando as cores,
revoando as letras,
numa canção intensa.
O coração,
flor do amor,
agradecido á tudo,
à todos e momentos,
seguindo em frente,
indo além do último declínio.
A montanha obscura,
para trás.
O sentido é presença,
ser presente,
estar aqui, 
viva.
Soltando amarras,
caminhando além,
navegando o auge,
comunicando esperança,
criança.
A alegria intacta,
certeza de continuar,
os sonhos, 
servidos
na bandeja,
seguindo,
acontecendo.
As maletas de integrações
inquietantes,
noutra alma, amar,
dissolvidas em átomos,
ao céu das cores,
para além dessa existência.
O amor humanitário,
chegando,
fluindo,
dentro navegando,
tranquilidade.

Vanize Claussen
29/08/2015



Postagens mais visitadas