ENCANTO


Na alvorada suave,
com passarinhais cantantes,
ouço sons de carros, (raros)...
e ainda com sonho,
dentro da vestimenta ALMA,
vou refletindo vida,
vou espelhando paz.
Absorvo detalhes,
presenças de tantos,
movimentos vividos!
A água fervida
vou soltando
e o cheiro do café,
subindo,
dá sensação de manhã.
O desenho de bolhas,
na borra,
vai trazendo arte.
O céu ainda,
com sorrateiras nuvens,
traz vento.
Vou observando os detalhes,
breve espelho refletido,
por dentro,
onde o encanto
é ser sensibilidade.

Vanize Claussen

23/02/2014

Postagens mais visitadas