DESPOSSUÍDOS

Os despossuídos de luz
buscam em meros atos,
o nada.
A imagem se cria...
O poeta
acende a luz,
traz imagem de gratidão,
que força os Despossuídos,
a verem,
na magia das palavras
estreitos laços de fitas
enfeitando aquele tom,
iluminando o rosto mosto
daquela mulher menina
que entoou amigos
na cachaça discreta
da vida e no tom,
autêntico vinho,
da luta pela vontade de viver,
e pela mãe natureza.
A força é tudo isso,
a raiz que brota,
invade atentando,
barulhos discretos,
latidos,
cidade,
noite,
 sons diversos,
alaridos.
Somos esse verso,
essa palavra,
esse absurdo aos olhos 
dos despossuídos.
Só risos e lágrimas,
vertidos aos que
não alcançam
o trem das flores musicais.

Vanize Claussen
24/09/2015


Postagens mais visitadas