APENAS ROSA

Nos escabelos do linho,
vinho,
entoação de alegria,
folia de cor.
Nas promessas descabidas
de teu amor,
apenas passarinho
em revoada.
Indo adiante, vou
cantante todos os dias,
e a vida abrindo
soltando o rolo
distraindo, musicando,
cantarolando a dança
desse caminho, sem volta.
Desentupi o coração,
desarrolhei as portas,
escancarei as janelas
 abri tudo,
parti.
Agora,
enlaçar-me-ei,
apenas, brisa.
Estarei, apenas, vento.
O tormento revoou,
o encanto da vida voltou.
Novamente vejo a cor
de meus olhos,
porque a dor,
apenas rosa
que me plantou.
Exalo sorrisos, levezas,
solturas e amor.
Sou apenas uma flor.

Vanize Claussen
8/9/2015

Postagens mais visitadas