IMPERMANÊNCIA

Os átrios abertos,
na solicitude de ir,
sem destino,
nalgum lugar,
além daqui...
Encantos
entremeados,
de natureza,
singeleza de coração.
solfejos discretos,
de alma.
Energia de cores,
insubstituíveis,
de velocidades,
intangíveis
neste plano,
aqui.
Mas, 
dentro,
percepção,
verdade,
harmonia,
alegria,
de estar presente,
sem mutações,
ainda.
O tempo,
enriquecendo,
somando 
pensamentos,
soltando 
argumentos,
naturais,
natureza de ser.
E no abraço,
do contato,
de toques discretos,
solicitude de alma,
certeza da calma,
em estar a caminho
de algum lugar,
bonito.
Fotografias,
de tempos,
de folhas,
de solturas,
apenas captar,
imagens,
impermanência,
continuidade,
certeza de ir,
um dia,
para casa.
E na ruptura,
certeza de presença,
ainda viva,
de imagem,
de lembrança,
de volta,
de ida
a algum lugar:
tão perto e distante,
tão pesado e leve,
tão tudo e nada!
Discreto som,
emanação,
vibração,
almificação,
ebulição,
tormenta alegre,
estar e não estar.
Seguir o fluxo,
o destino,
as águas,
ir,
na simplicidade,
ir,
na velocidade,
ficar,
natureza.
Idéias loucas,
poucas,
muitas,
orientando voar,
presença.

Vanize Claussen
13/10/2015








Postagens mais visitadas