A OBRA


Vejo sobre a tela
A incerteza protagonista
Do amor,
Onde pedaços se rompem,
Cruzam e libertam
Profundezas da alma.
Nas curvas velozes
São injetadas cores,
Milhares delas fluem
Na superfície texturizada,
Formando poderosa proteção
De uma alma que reluz.
Ambiente gracificado, 
Resplandecido de êxtase,
Obra repleta, iluminada
De sabor com pedaços
Do lixo urbano,
Numa aventura,
Indescritível,
De música,
Como se cantasse.

Vanize Claussen Corradini

(Poesia dedicada a exposição dos trabalhos dos irmãos campana – CCBB/RJ 17/03/2012)

Postagens mais visitadas